quarta-feira, 15 de abril de 2015

O amor de um Poeta

Acredito que o mundo ainda seja um castelo encantado...
Em meus sonhos de amor... vivo cada segundo nessas linhas
Poéticas ... buscando ser o poeta que a tua alma clama...
O poeta que faz da ausência sua eterna presença...
Nessas palavras busco essências que produzem sonhos
Reais de um amor poético... É tarde... madrugada ainda...
e meus pensamentos só produzem tua imagem...
Eu desejo ser o poeta da ternura...
O poeta dos castelos e dos beijos...
O Poeta que põe a alma antes do coração...
O poeta dos desejos... e dos prazeres...
Desvendando os encantos dos teus seios...
Recitando versos para tua boca... 
E os meus versos assim como um perfume...
Hão de embriagar as mulheres para o teu ciúmes...
Eu quero ser esse poeta... que sonha... e a quem a tua alma se prendeu...
Esse mesmo poeta sonhador... que compões versos... para imortalizar teu 
nome e o meu...
Nas palavras escritas deste verso na imortalidade do nosso amor.